domingo, 24 de setembro de 2017

Maria é nossa Mãe?



PODEMOS REALMENTE CHAMAR MARIA DE MÃE?


Há inúmeras controvérsias se Maria pode ser considerada nossa mãe e mãe da igreja por parte dos nossos irmãos evangélicos protestantes... 

Chamar Maria de mãe é fazer dela uma deusa? 

Chamá-la de mãe não estaria desagradando a Deus ou fazendo dela alguém superior a Jesus e assim cair no pecado da idolatria? 

Será que podemos realmente chamar Maria de Mãe? 




A respeito dessa pergunta, inicio com o parágrafo de número 32 do Tratado da Verdadeira devoção à Santíssima Virgem, em que S. Luís Maria Grignion de Montfort nos diz assim:

“ “um grande número de homens nasceu nela”, diz o Espírito Santo: Homo et homo natus est in ea. Conforme a explicação de alguns Santos Padres o primeiro homem nascido em Maria é o homem-Deus, Jesus Cristo; o segundo é um homem puro, filho de Deus e de Maria por adoção. Se Jesus Cristo, o chefe dos homens, nasceu nela, os predestinados, que são os membros deste chefe, devem também nascer nela, por uma consequência necessária. Não há mãe que dê à luz a cabeça sem os membros ou os membros sem a cabeça: seria uma monstruosidade da natureza. Do mesmo modo, na ordem da graça, a cabeça e os membros nascem da mesma mãe, e, se um membro do corpo místico de Jesus Cristo, isto é, um predestinado, nascesse de outra mãe que Maria, que produziu a cabeça, não seria um predestinado, nem membro de Jesus Cristo, e sim um monstro na ordem da graça.” (Montfort, 1961, p.29)

Interessante notar que neste parágrafo Deus chama Maria de “mãe adotiva” de Cristo. Sim, porque Ele sendo Deus e também seu Filho, poderia escolher trazer seu Filho ao mundo diretamente. Mas Deus valoriza a família e vive também num contexto de família. Assim como o Senhor fez Adão e Eva para formar uma família, assim também temos Jesus e Maria. A única diferença a observar é que os primeiros se trata de um casal, enquanto o segundo a relação é filial: filho com mãe. Mas a comparação é correta e verdadeira. Jesus é o novo Adão. O Adão perfeito. Pois Adão não foi capaz de cumprir com seu papel de ser obediente a Deus e nem de ser o cabeça da mulher. Jesus vem “consertar” aquilo que Adão não fez, por isso é chamado Adão perfeito, sendo obediente inteiramente e completamente a Deus e o chefe, cabeça da igreja. Em contrapartida e complementando o papel de Cristo, temos Maria que pode ser chamada de “Eva perfeita”. Enquanto Eva pecou e foi desobediente a Deus atraindo castigo para si, Maria foi a mulher perfeita, ela que é a primogênita de Deus assumiu o papel da Filha consagrada ao Pai, extremamente fiel e submissa, suportando o papel da mãe que vê seu filho na cruz com total resignação.



A vida de Maria está escondida nos Evangelhos, ela não aparece. Pois seu prazer era e é submeter-se a Deus e por isso nesta terra viveu no anonimato, humilhando-se a si mesma, cumprindo com seu papel de serva e escrava do Senhor para que sempre toda honra e glória fosse e seja sempre somente de Deus – o Pai a quem se submeteu e o Filho, que ela criou e cuidou com muito amor e dedicação, pois sabia que antes de ser seu filho que Ele é filho de Deus. Talvez neste ponto facilite para entender a maternidade “adotiva” de Maria. Pois Maria recebeu essa graça de Deus, de ser mãe do Filho dele, porque Deus viu abundantes graças em Maria e encontrou nela o melhor instrumento para trazer seu filho ao mundo. Maria é mãe de Jesus por intermédio do Espírito Santo e sendo filha de Deus, a predileta, recebeu a honra de gerar o Deus Filho.



É por tantas graças recebidas, por tantos méritos, por sua total submissão a Deus, sua vida cativa em oração e humilhação ao Pai, por tudo isso e muito mais coisas, que jamais os humanos poderão saber ou entender, por tudo isso, que Deus elevou Maria a seu trono de graça e a fez tesoureira das graças do céu para os homens. Deus não fez dela uma deusa, pois não divide sua glória com ninguém. Mas a elevou a um patamar acima dos homens e abaixo de Deus. Maria é totalmente submissa a TrindadeSanta, mas por seu amor filial, sua filial devoção e seu prazer em humilhar-se diante de Deus, o Pai a elevou diante dos anjos e dos homens e assim como Jesus é o Rei dos Reis, a fez Rainha do céu e da terra para que todos os homens, anjos, demônios e toda criação se dobre diante de Maria e reconheça sua majestade, seu poder de co-governar e cooperar com os planos de Deus.



Lembrando que o poder é de Deus e a ação é do Espírito Santo e Jesus é o rei e que uma rainha perfeita jamais fez ou fará algo que desagrade ao rei, jamais teve ou terá maior poder que o rei. O papel da Rainha é aproximar os súditos do rei. Levar a Ele seus clamores e petições, sabendo bem como clamar ou pedir e recebendo o bem e a graça do rei, comunica-lo ao seu súdito fiel. Lembrando também que um bom súdito pode contar sempre com a graça e intercessão da rainha, enquanto aqueles que ousam ir diretamente ao rei e mal sabem o que pedir ou como pedir, estes, correm o risco de perder seu pescoço por importunar o rei ou talvez pedir ou ousar pedir o que não deva e assim ser ordenado sair da presença do rei. Para não ser prejudicado por adentrar na sala do rei indevidamente temos Maria e ela é este elo, ela é nossa ajudadora e intercessora junto a seu filho Jesus porque somente ela sabe o que pedir e como pedir, ela sempre melhora nossas orações. Não querer considerar Maria em sua majestade e não aceita-la como nossa mãe adotiva é jogar fora a oportunidade de ter os desejos e apelos aceitos pelo rei Jesus.



Um bom filho de Deus tem Maria como Mãe, a ama, respeita, reconhece seu valor e suas virtudes. E deixa ser moldado e cuidado por ela assim como o próprio Jesus sendo Deus deixou. Ele é o cabeça da igreja e nós, se somos mesmo ou se queremos ser e nos considerar igreja de Cristo, devemos passar pelo mesmo processo que Ele sendo moldado por sua Mãe. Afinal, não somos maiores ou melhores do que Cristo, somos sim muito falhos e imperfeitos. Se queremos chegar à perfeição e nos tornar dignos de ser chamados filhos de Deus é preciso aceitar o processo de ser moldado e formado em Maria pela ação do Espírito Santo.



E se ela, Maria, nos molda, nos forma, cuida e nos ensina, então ela é nossa Mãe ainda que não a chamemos ou a consideremos assim. Quer dar uma grande alegria a Jesus? Aceite Maria como sua Mãe, chame-a de Mãe! Porque o menino Deus, o Filho de Deus não tem ciúmes de sua mãe, ao contrário, Ele se alegra por cada alma que a chama de mãe e a aceita como Mãe. Pois é nela e através dela que somos chamados e considerados FILHOS ADOTIVOS de Deus.



Jesus é o FILHO de Deus.

Maria é “mãe adotiva” de Jesus.

Por Maria nos tornamos FILHOS ADOTIVOS de Deus pela ação do Espírito Santo.


" "Mulher eis aí teu filho." 
Depois disse ao discípulo: "Eis aí tua mãe." " 
JOÃO 19:26-27 

Quando Jesus diz isso ao discípulo está entregando sua Mãe como mãe da humanidade e um verdadeiro discípulo e servo de Jesus acolhe Maria como sua Mãe.


Que você também aceite Maria como sua Mãe!

Eu te amo Maria e te aceito como Mãe, sou sua filha e escrava por amor.




Totus tuus Mariae

anunciadoradasalvação@gmail.com
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Nenhum comentário:

Postar um comentário